28 de agosto de 2016

Crostinis de Tomate e Ovos de Codorniz

Yum

Agosto está a passar rápido demais… já falta pouco para deixar de ter dias de calmaria, de um sossego relaxado que só acontece nos dias longos de férias. Os miúdos já começam a falar no regresso às aulas, e já se começa a sentir a agitação normal que se antecede. Não tenho saudades nenhumas… da volta às rotinas, aos horários apertados…

Mas enquanto esses dias não chegam, e numa tentativa de adiar esse regresso o mais possível, a minha cozinha continua em modo relax, e as receitas para desfrutar ao final de tarde com calma e em perfeita harmonia com o relógio da natureza continuam em destaque.
Assim, hoje trago uns simples, rápidos e saborosos crostinis para desfrutar pausadamente.





27 de agosto de 2016

Coroas de Tomate Seco e Pesto

Yum
Já aqui confessei, e por várias vezes, que sou apaixonada por pão.
E não é só de o comer. Adoro por as mãos na massa e fazer o meu próprio pão. Adoro!
O prazer de amassar, de esperar que a massa leveda, dar forma e depois cozer, é indiscritível. O cheirinho que fica na cozinha quando o pão está cozido é mágico.
Durante muito tempo fiz o pão que comíamos. Deixava a máquina de fazer pão programada e de manhã quando chegava à cozinha tinha um pãozinho fresco e delicioso à nossa espera! O prazer de comer pão acabado de fazer onde a manteiga se derrete gulosamente, é bom demais.
Hoje em dia já não o faço…com alguma pena. Mas a máquina começou a falhar de vez em quando, e confesso que me irritava muito ver o pão que ficava sempre agarrado ás pás da cuba, e que acabava por fazer com que não se conseguisse aproveitar muito bem a totalidade do pão.
Agora faço pão no forno de vez em quando, tornando assim a ocasião mais especial.
Estes coroas vieram fazer isso mesmo, tornar uma tarde que teria tudo para ser banal numa tarde super especial. São absolutamente divinais!
O toque do sal de Pele de Tomate torna-as únicas e irresistíveis. Uma verdadeira tentação!
Espero que gostem da sugestão.






26 de agosto de 2016

Arroz Malandrinho de Tomate

Yum

Se há uma coisa em que os portugueses têm orgulho é na gastronomia. Todos enchemos o peito e levantamos o queixo aquando se trata de falarmos da nossa cultura gastronómica, na sua riqueza, diversidade e sabor. Não será com certeza a única coisa em que temos orgulho, mas é claramente um tema onde existe um grande consenso.
E eu acho que temos todas as razões para nos sentirmos orgulhosos. Temos, sem reservas, uma gastronomia riquíssima e variadíssima. Podemos ser pequenos em espaço geográfico, mas somos gigantes no que toca a receitas cheias de tradições e que destacam as principais riquezas nacionais.
Não poderia deixar passar o mês dedicado ao tomate sem trazer uma receita bem tradicional portuguesa: o nosso arroz malandrinho de tomate.
Uma receita que pessoalmente adoro e que me lembra sempre os tempos de miúda, uma vez que foi nessa fase da minha vida que mais o comi.
Era uma receita repetida muitas vezes, quase sempre acompanhada por peixe frito, ou uns não menos tradicionais pastéis ou pataniscas de bacalhau.
E o aroma que paira na minha cozinha quando o faço leva-me sempre para outras cozinhas onde o vi tantas vezes ser feito… pela minha tia… pela minha mãe… pelo meu avô.
Todos terão a sua versão. Uns colocam mais este ou aquele ingrediente. Mas o que importa é a tradição com que ainda se faz e o conforto que transmite quando o saboreamos.

Em jeito de hino à nossa cultura e tradição gastronómica, trago então o meu arroz malandrinho de tomate.




25 de agosto de 2016

Tabulé, ou Taboule ou ainda Tabbouleh

Yum

São todos nomes possíveis para esta receita de origem árabe e muito popular. É uma receita muita simples onde se combina sêmola de trigo com vegetais e se obtém uma salada fresca, muito saborosa e saudável.





Foi pelas mãos da minha cunhada que comi pela primeira vez tabulé. E foi um prato que me conquistou por completo à primeira garfada.
Adoro a sua frescura e a textura que o couscous confere a este prato tão simples, mas ao mesmo tempo tão rico em sabor.
Adoro o poder das ervas aromáticas. Para mim são claramente a “chave” do seu sucesso. A hortelã é fundamental e é claramente o ingrediente chave que o faz destacar-se e ser delicioso.
A minha cunhada costuma ainda acrescentar atum, e é essa versão que mais vezes faço. A receita que trago hoje é como uma base, na qual podem ir adicionando outros ingredientes do vosso agrado… ou não… porque acreditem que assim já é uma receita que prende todos os sentidos.

22 de agosto de 2016

Polvo à Moda da Terceira

Yum

Esta é uma receita especial, elaborada para uma pessoa igualmente especial.
Há algum tempo, mais do que aquele que gostaria, desafiei a Elizabete a escolher uma receita do livro que ela me ofereceu aquando do Desafio Açoriano.
A receita eleita foi o Polvo à moda da Terceira.
Não sei se estará totalmente de acordo com a tradição açoriana, mas tentei seguir ao máximo as instruções do livro.
A receita é muito simples de elaborar, e tendo como base poucos ingredientes, o segredo para o sucesso está na qualidade dos produtos que são usados. Infelizmente não consegui usar vinho de cheiro, com grande pena, porque acho que esse será exatamente o elemento chave que marca a diferença. Mas na sua ausência, um bom vinho tinto deverá ser sempre a opção.

Elisabete, minha querida, tenho que te dizer que a receita fez sucesso, e obrigado por divulgares a cozinha tradicional Açoriana. Beijinhos




19 de agosto de 2016

Olhá Bola de Berlim ...... de Castanha!

Yum

Agosto
Praia
Ondas
Mergulhos
Areia
Conchas
……  e inevitavelmente Bolas de Berlim!

Há prazeres que não se explicam, e o de comer uma bola de Berlim, com o pé enfiado na areia, é um deles… não se explica, lambe-se o açúcar dos lábios e pronto. Não há nada melhor.
As que vos trago hoje são especiais. São de castanha. Isso. Feitas com Farinha de Castanha Portuguesa Amálgama.
E sabem uma coisa? Para mim, são melhores ainda que as tradicionais!


A massa ficou perfeita, com um leve sabor a castanha, e bem fofinha. Recheadas com o creme ficaram absolutamente divinais. 


Preferi fazê-las pequenas, que se comem em duas dentadas. Faz parecer que o pecado é menor! 


17 de agosto de 2016

Tostas de Verão!

Yum

Vou-me repetir: sou uma apaixonada por pão. Já usei inclusive a palavra viciada, e embora me parece muito forte para descrever a minha paixão, às vezes até parece bem empregue…. Sim porque o meu dia não corre bem se não comer pão, fico resmungona e de difícil trato...
O meu dia tem de começar impreterivelmente com pão, com a minha torradinha, senão instala-se um mau humor…fico com a sensação que não estou completa. É complicado. Às vezes é MUITO complicado.
Para terem uma ideia até que ponto estou disposta a não abdicar da minha rotina matinal, posso-vos confidenciar que a casa de férias deste ano não tinha torradeira….-também não havia micro-ondas, mas com isso eu vivi bem…
Fora de questão comprar uma torradeira… e mais fora de questão ainda ficar sem a minha torrada… por isso, e porque a necessidade aguça o engenho, e para tentar colmatar o mais possível a falta da minha precious torrada, punha pão a secar ao sol, durante as horas tórridas, para no dia seguinte conseguir ter uma fatia de pão estaladiça e crocante! Não estava quentinha e com a manteiga a derreter, mas em tempos de guerra não se limpam armas, e aquele pãozinho desidratado ao sol, super crocante soube-me sempre como se fosse a melhor torrada do mundo!
E não tem a ver só com o início do dia… gosto de comer pão, seja a que hora for. Simples, com manteiga, com o que quer que seja, doce ou salgado, em receitas salgadas ou doces, não imagino a minha vida sem pão. Como é óbvio, e a bem da minha balança, tento moderar o mais possível o seu consumo, e dou preferência ao pão escuro e com sementes… mas tem de haver pão ponto final. Não resisto.
Resumindo, vou pegar numa frase da Lia, que sucintamente diz tudo o que penso do pão: Amo tudo o que venha em cima, ou entre fatias de pão.

Posto isto, não será surpresa que vos diga que amei estas tostas.
Não foram o meu pequeno-almoço, mas isso também não será surpresa, mas foi num final de tarde que me arrebataram.
Seja de manhã, num brunch, num lanche ou jantar, não deixem de experimentar esta delícia. Please.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...