29 de maio de 2016

Mojitos de Morango

Yum
Diz o ditado que se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé....

Já que o sol e o calor não aparecem, faço bebidas bem frescas, numa derradeira tentativa para os fazer aparecer!

Onde será que anda o calor que teima em não aparecer! Até eu que sou uma "Winter girl" já me saberia bem uns diazinhos mais amenos, calçar umas sandalocas, com os belos dos dedões do lado de fora, e abandonar os polares....

Aqui fica uma sugestão, para os mais destemidos....como eu...


Ingredientes (2 copos médios):
Receita adaptada de aqui
30ml de Xarope de Morango (veja a receita aqui)
3 Morangos grandes, arranjados
6 raminhos de Hortelã fresca
30ml de Sumo de Lima
60ml Rum
Cubos de Gelo, a gosto
Hortelã fresca, Lima e/ou Morangos para decorar (opcional)


Preparação:
Num jarro pequeno, de preferência previamente refrigerado, coloque o xarope de morango, a hortelã e os morangos. Com um pilão para cocktails esmague bem a mistura.
Divida a mistura pelos copos, de preferência também previamente refrigerados.
Distribua igualmente o sumo de lima e o rum.
Coloque alguns cubos de gelo, acabe de encher os copos com a água Castello, e misture delicadamente.
Decore com mais alguns ramos de hortelã e/ou fatias de morango.


E Voilá!!


28 de maio de 2016

Salada de Morango e Ananás

Yum
Os morangos têm a capacidade de transformar qualquer receita, numa receita diferente e cativante. A sua cor vermelha tem um poder quase que hipnotizante. 

Esta salada de fruta é tão simples quanto deliciosa. É uma daquelas receitas 1, 2, 3 e voilá, com a certeza que agrada a todos.


Ingredientes (4 pessoas):
½ Ananás
150g de Morangos
2 c. sopa de Xarope de Morango (veja a receita aqui)
2-3 folhas de Hortelã, picadas finamente

Preparação:
Nota introdutória: Se quiser usar a sugestão de apresentação que trago, basta que corte o ananás ao meio na vertical, e com uma faca afiada corte o ananás a toda a volta e vá retirando com cuidado pedaços da fruta, de modo a escavar a casca.
Lave os morangos e retire o excesso de água com um pano. Arranje-os, retirando o pé, e corte em pedaços.
Corte o ananás também em pedaços.
Junte as duas frutas na casca do ananás, ou numa taça, e regue com o xarope de morango, e refrigere.
Cerca de 15 minutos antes de servir, retire do frio, salpique com a hortelã picada e sirva.

27 de maio de 2016

Smoothie de Morango, Baunilha e Sementes de Papoila

Yum
De todos os smoothies que fiz até agora, este foi sem dúvida o meu preferido.
O sabor da baunilha conquistou-me por completo.


 Ingredientes (4 copos médios):
Receita adaptada de Smoothies, batidos e companhia ©Naumann &Göbel
300g de Morangos
250g Iogurte Natural
1 Vagem de Baunilha
100ml de Leite
2 c. sopa de Açúcar
1 saqueta (7,5g) de Açúcar Baunilhado
2 c. sopa de Sementes de Papoila, moídas
Cerca de 6 c. sopa de Sumo de Laranja

Preparação:
Lave os morangos e retire o excesso de água com um pano. Arranje-os, retirando o pé, e corte em pedaços. Coloque-os no copo do liquidificador, juntamente com o açúcar baunilhado e o sumo de laranja, e processe até obter um puré.
Abra a vagem de baunilha ao meio e raspe as sementes com uma faca. Coloque a vagem, se suas sementes, o leite, as duas colheres de açúcar e as sementes de papoila numa panela, e leve a ferver. Quando levantar fervura retire do lume e deixe arrefecer. Adicione o iogurte e misture.
Distribua a mistura de sementes de papoila pelos copos. Cubra com o puré de morango e mexa em círculos até obter um efeito marmoreado. Refrigere um pouco antes de servir.


 Bom Apetite!

26 de maio de 2016

Empadas de Farinha de Castanha com Bacon e Cogumelos

Yum
“A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las.” (Aristóteles)



É assim que a Amálgama começa a sua apresentação.

A Amálgama é um projeto 100% português, com o qual criei uma empatia muito grande desde o primeiro contato, e que hoje gostava de vos convidar a conhecer. Um projeto cheio de alma, garra, dedicação e paixão.


Este projeto nasceu da necessidade de um casal em se manter junto. Ele, o André, licenciado em Educação Física e Desporto e mestrado em Jogos Desportivos Coletivos e ela, a Sílvia, licenciada em Psicologia e com mestrado em Psicologia da Educação, firmes na decisão que não iriam deixar que as suas carreiras profissionais os colocasse na situação de um estar em “cascos de rolha” e o outro em “para lá do sol-posto”, decidiram criar o seu próprio negócio aproveitando um recurso de família: vários soutos, numa das melhores regiões do mundo para o crescimento da castanha sativa.
Fortemente apoiados pela família e com a orientação do gabinete de empreendedorismo da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, em 2015 criaram a Amálgama, que tem como missão a transformação da castanha, e conta com a parceria de produtores com profundo conhecimento deste fruto tão português.
Um dos produtos que comercializam é a farinha de castanha, um produto de elevada qualidade, que tem como matéria-prima castanhas de Trás-os-Montes mais propriamente do concelho de Vinhais (Terra Fria). A Castanha Moída é nutricionalmente rica, podendo ser uma fonte de fibras, vitaminas e sais minerais para a ingestão das doses diárias recomendadas destes nutrientes.




A farinha de castanha e as suas possíveis aplicações ainda não são muito conhecidas pela generalidade da população, por isso a Amálgama criou um espaço com um conceito muito próprio, que ajuda a divulgar não só o seu próprio produto (história, propriedades, benefícios, aplicações…) como outros produtos de origem portuguesa. E é nessa dinâmica que pretendem sensibilizar a população para os benefícios de produtos à base de castanha e criar sinergias com outros produtores/empresários/artesãos, valorizando diversos recursos do nosso país.




Apesar da castanha moída ser considerada um alimento com elevada carga calórica, esta não deve ser uma opção a descartar pelos que pretendem emagrecer, pelo contrário, pois é constituída por moléculas complexas que são lentamente digeridas pelo organismo permitindo assim manter o nível de saciedade por mais tempo.
A castanha não tem glúten, e uma vez que farinha de castanha Amálgama é 100% castanha seca, é igualmente isenta de glúten, sendo assim apta para celíacos.

Convido-vos agora a visitarem a Amálgama, nas suas instalações físicas em Vila Nova de Famalicão ou a passearem virtualmente pelo seu espaço no facebook (www.facebook.com/lojaamalgama), e a ajudarem a Sílvia e o André a realizar o seu sonho, divulgando o seu projeto, promovendo assim a nossa cultura e o empreendedorismo.

Tive o privilégio de ser convidada pela Amálgama a experimentar a sua farinha de castanha, e a usá-la numa receita, promovendo assim a sua utilização. O convite foi prontamente aceite como podem imaginar. Além de ser uma fã assumidíssima de castanha, poder usar farinha de castanha portuguesa foi um prazer em todos os sentidos.

Obrigado Amálgama pelo convite e pelo voto de confiança!


Empadas de Farinha de Castanha com Bacon e Cogumelos




Ingredientes (6 und.):
Massa
100g de Farinha de Castanha Amálgama
80g de Amido de Milho
1 c. chá de Fermento Químico
90g de Margarina, à temperatura ambiente
50ml de Água, à temperatura ambiente
1 Ovo, à temperatura ambiente
1 pitada de Sal Fino
Recheio
100g de Bacon, cortado em cubos pequenos
150g de Cogumelos
1 Cebola pequena, picada
Sementes de Erva-doce



Preparação:
Massa
Numa taça junte a farinha de castanha, o amido de milho, o sal e o fermento químico. Junte a margarina, e bata com uma batedeira até que esteja com a aparência de areia grossa.
Junte de seguida a gema do ovo e a água, amassando só o necessário para ligar a massa e fazer uma bola. Se achar necessário junte um pouco mais de farinha.
Deixe repousar 30 minutos, no frigorífico, antes de usar.

Notas: Esta massa fica mole, mas não deve ficar muito mole; devem conseguir obter uma consistência que permita o seu manuseamento, e que ao tocar com as mãos levemente enfarinhadas ela não fica agarrada às mãos. Esta massa, pelo facto das farinhas utilizadas não terem glúten, tem um comportamento completamente diferente da tradicional massa quebrada que usamos nas empadas; esta não é elástica e é muito frágil, pelo que deve ser manuseada com muito cuidado; na altura de estender deve-se salpicar abundantemente a mesa de trabalho com farinha para facilitar a tarefa de estender e cortar.
Existe um aditivo natural sem glúten que melhora a consistência deste tipo de massas, o Goma Xantana, que deve ser usado na proporção de ½ a 1 colher de chá por cada chávena de farinha usada. Este aditivo vai permitir que as farinhas sem glúten tenham características semelhantes às de mistura com glúten fazendo com que seja possível conservar os gases resultantes da fermentação, evitando o “esfarelar” e dando elasticidade.



Recheio
Numa frigideira coloque o bacon e leve ao lume. Deixe cozinhar até que o bacon fique dourado e liberte alguma da sua gordura. Durante esta fase é aconselhável que use uma rede anti salpicos.
Junte a cebola, e deixe cozinhar até que esta fique translúcida.
Adicione os cogumelos, previamente lavados, sem pé, e fatiados finamente. Deixe cozinhar até que estejam tenros, e tenha evaporado a maior parte da água que libertam. Tempere com pimenta acabada de moer e retire do lume. Reserve até que arrefeça.

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte levemente 6 formas de pastéis.
Numa superfície generosamente enfarinhada, estique a massa até obter uma espessura de cerca de 4 a 5mm – a massa não deve ficar muito fina caso contrário não vai conseguir trabalhá-la - e corte 12 discos. (eu cortei 6 discos maiores que as formas, e depois 6 mais pequenos para servir de tampa e poder fechar as empadas)
Forre as formas de pastéis com os 6 discos de massa maiores.
Distribua o recheio pelas formas e tape com os 6 discos mais pequenos de massa, enrolando gentilmente os bordos para que os discos de massa se colem.
Se quiser, com as aparas que sobram da massa, corte pequenas folhas e decore as empadas.
Pincele as empadas com a clara do ovo, salpique com algumas (poucas) sementes de erva-doce, e leve ao forno, até que a massa esteja cozida e levemente douradinha, o que deve demorar cerca de 25 a 30 minutos.



Bom apetite!

25 de maio de 2016

Smoothie de Morango e Flocos de Aveia

Yum
O mês de morangos abriu a porta do mundo dos smoothies cá em casa. Se já não houvesse boas razões para estar contente por ter escolhido os maravilhosos morangos como ingrediente de Maio, então esta seria claramente uma delas…. Tem sido muito bom deliciar-me com estas bebidas suaves e cheias e sabor.

Sempre que preparo um, lembro-me de uma colega que tive no liceu. Costumávamos ir estudar muitas vezes para casa dela, porque era das poucas que a mãe não trabalhava, e nós sempre tínhamos companhia e quem nos fizesse lanche J
Fazia-nos muitas vezes smoothies. E era sempre uma festa!
Bons tempos.

Espero que gostem de mais este saudável e energético smoothie!
                  


Ingredientes (2 copos):
Receita adaptada de Smoothies, batidos e companhia ©Naumann &Göbel
300g de Morangos
1 Banana pequena
1 Iogurte Natural
2 c. sopa de Flocos de Aveia
Mel a gosto para adoçar (eu não usei e ficou ótimo!)
Leite para diluir, se necessário

Preparação:
Lave os morangos, e retire o excesso de água com um pano. Arranje-os, retirando o pé e cortando-os em pedaços.
Coloque-os no copo liquidificador, juntamente com a banana descascada e igualmente cortada em pedaços, o iogurte, e o mel. Bata tudo até obter uma mistura homogénea. Se o smoothie estiver espesso demais, dilua com um pouco de leite.

Distribua pelos copos de servir, e decore com um morango e uns flocos de aveia. 

22 de maio de 2016

Chá Gelado de Morango {Strawberry Ice Tea}

Yum
Hoje que o dia está bom e as temperaturas mais altas brindemos com um maravilhoso chá gelado!
                   De morango, obviamente J



Ingredientes (2 chávenas):
1 chávena de Água
1 ½ chávena de Morangos, lavados, sem pé e fatiados
Mel para adoçar (opcional)
Folhas de Hortelã e Cubos de Gelo para servir

Preparação:
  1. Numa panela média, misture a água e os morangos fatiados e leve ao lume.
  2. Deixe levantar fervura. Baixe o lume e deixe ferver por 5-10 minutos.
  3. Retire do lume e coe o líquido num passador de malha fina ou de pano.
  4. Não pressione os morangos, senão irá obter um líquido nebuloso. Deite fora os morangos.
  5. Deixe amornar à temperatura ambiente, e depois arrefeça-o no frigorífico pelo menos durante 1 hora. Se quiser o adoçar, junte o mel antes de o arrefecer, mexendo muito bem para dissolver o mel.
  6. Transfira o líquido para as chávenas de servir, e acompanhe com folhas de hortelã e cubos de gelo. 



br />

Nota: Para dar um toque mais especial ao seu Ice Tea, faça cubos de gelo com morangos pequenos no meio.

19 de maio de 2016

Donauwelle Torte {Bolo Ondas do Danúbio}

Yum
Hoje fazemos uma pausa nos morangos…. Mas é por uma Sweet razão!

Desta vez não podia deixar de participar no Sweet World.



Quando vi a proposta desta edição, fiquei bastante animada, porque este era um bolinho qua já estava há muito na minha lista “to do, some day”.
Embora fosse uma decisão fácil de tomar, não foi uma decisão fácil de concretizar… fui deixando, fui deixando, e quando tomei consciência faltavam 2 dias para terminar o prazo…. Tenho de confessar que não lhe consegui dar a atenção merecida, e numa derradeira tentativa de ainda participar, acabo por trazer a minha (mais uma vez) atribulada participação. Acho que se está a tornar um clássico. As minhas atribuladas participações no Sweet World. Quase que parece nome de livro… 

Tive algumas dificuldades com a cobertura de pudim. Em vez de fazer o pudim de raiz, usei preparado de pudim (conforme é usado no livro que me serviu de fonte), e até para de alguma forma ser mais rápido. Tive a mesma dificuldade que a Susana, porque não ficou consistente, o que dificulta um pouco a tarefa de partir o bolo na hora de servir. Também não percebi muito bem o porquê de se juntar manteiga…se alguém me souber explicar agradecia… acho que estamos a adicionar uma gordura desnecessária.

Depois veio a saga com o chocolate. Quando o estava a colocar por cima do creme, houve um pequeno que gritou aflito, e eu lancei-me numa missão de socorro. Uns 20 a 30 minutos depois volto ao meu bolo e ao meu chocolate, somente para concluir que a tarefa de fazer ondas era já uma tarefa impossível. Conclusão: o rio está “flat” hoje, sem ondas.

Tenho de destacar que o bolo é mesmo muito saboroso. A massa, apesar de densa, é muito agradável, e em conjunto com o pudim fica bastante harmonioso. O que menos me agradou foi a capa de chocolate… mas acho que tem a ver com o facto de eu não ser nada chocolate lover. Visualmente acho que faz todo o sentido que ela lá esteja, desde que tenha ondas!, mas em termos de sabor não sei se será uma mais-valia.

Mais uma vez foi um prazer participar!




Ingredientes (10 a 12 porções):
Receita adaptada do Blog Basta Cheio e O Prazer da Doçaria © Naumann & Göbel

Bolo
2 Ovos grandes
100g de Manteiga
100g de Açúcar
1 c. chá de Extrato de Baunilha
200g de Farinha
1 c. sobremesa de Fermento Químico
80ml de Leite
1 c. sopa de Cacau 100% Natural, sem adição de açúcar
300g de Cerejas em Calda

Cobertura
11g de preparado para Pudim de Baunilha Boca Doce
2 c. sopa de Açúcar
250ml de Leite
100g de Manteiga
25g de Açúcar em Pó
100g de Chocolate Negro
1 c. sopa de Óleo de Coco (usei MyProtein)

Preparação:
Pudim
Num tachinho coloque o preparado de pudim juntamente com o açúcar. Misture.
Adicione aos poucos o leite, mexendo sempre, para não ganhar grumos.
Leve a lume moderado, e deixe cozinhar até que engrosse ligeiramente, mexendo sempre.
Retire do lume, e deixe arrefecer por completo. De vez em quando mexa para que não ganhe crosta. Reserve até ser necessário, à temperatura ambiente.


Bolo
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Forre uma forma quadrada de 20x20cm com manteiga e forre com papel vegetal também untado. Reserve.
Bata a manteiga até ficar bem macia.
Noutro recipiente bata os ovos com o açúcar até obter uma mistura fofa e esbranquiçada.
Junte a manteiga à mistura de ovos e bata um pouco mais.
Com a batedeira no mínimo, adicione o extrato de baunilha e a farinha misturada com o fermento, de forma alternada com o leite, até terminar.
Coloque 2/3 do preparado na forma e à restante massa junte o cacau e uma colher de sopa de leite. Misture bem e verta este preparado por cima do outro. Alise a superfície.
Distribua as cerejas por cima pressionando-as ligeiramente para que entrem um pouco na massa e ajudem a criar o efeito de onda.
Leve ao forno cerca de 25 minutos, até a massa estar bem firme e cozida. Verifique se está cozido espetando um palito de madeira no centro do bolo. Se sair sem massa agarrada o bolo está pronto.
Retire do forno, desenforme e deixe arrefecer por completo.

Cobertura
Bata a manteiga com o açúcar em pó até obter um creme fofo. Vá juntando a manteiga ao pudim de baunilha, aos poucos, e mexendo muito bem entre cada adição.
Coloque o bolo novamente na forma e espalhe o creme de manteiga por cima até ao topo da forma.
Leve ao frio 30-45 minutos.
Retire do frio cerca de 1 hora antes de aplicar o chocolate. Nesta fase é essencial que o creme esteja à temperatura ambiente.
Derreta o chocolate juntamente com o óleo de coco, em banho-maria. Quando estiver bem macio e uniforme deixe arrefecer ligeiramente e espalhe por cima do creme. Com um garfo, de forma suave, desenhe ondas no chocolate.

Conserve o bolo no frio, devendo no entanto tirar uns 10 a 15 minutos antes de servir.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...