23 de março de 2016

Arroz de Castanhas Piladas

Yum




Esquecidos por muitos vão certamente os tempos em que era tradição em Alenquer, na semana santa, fazer e comer arroz de castanhas piladas.

Tão esquecidos, que eu não tenho memória desses tempos.

Embora ainda haja algumas famílias e restaurantes da zona que tentam recuperar esta tradição, o facto é que cada vez menos são as pessoas que conhecem e que fazem a receita.

Para isso também contribuirá seguramente o facto de quase já não se conseguir encontrar castanhas piladas à venda. Encontrá-las é quase como que encontrar um tesouro.

Lembro-me bem de a minha tia as ter, como tinha tantos outros frutos secos. E mesmo quem não as fazia tinha a facilidade de encontrá-las à venda nas feiras, ou nas mercearias.

Além de usada em variadas receitas salgadas ou doces, a castanha pilada era também comida como se de um rebuçado se tratasse. Um rebuçado precioso. Punha-se na boca, e depois, lentamente ia-se deixando que a castanha se fosse hidratando, até que se desfazia e libertava todo o seu sabor. Um sabor único. Disso sim tenho memórias! Memórias de miúda!

São as memórias que me dão mais prazer na arte da culinária. Aquele sabor, aquele aroma, aquele determinado ritual à volta de uma determinada receita, e as lembranças afloram. Lembramos locais, pessoas e momentos especiais….. e isso é o mais delicioso de tudo.

Na tentativa de avivar memórias, e contribuir para que esta receita e tradição não se percam, trago-vos o arroz de castanhas piladas.

Importa lembrar que, num contributo histórico, que “em várias localidades da região oeste o arroz de castanha pilada era um prato recorrente durante a semana santa – “quinta-feira santa, sexta-feira de paixão, sábado de aleluia e domingo de ressurreição” – principalmente na quinta-feira e na sexta-feira, altura em que se fazia um jejum mais rigoroso e não se comia qualquer tipo de carne. Nesses dias era habitual as famílias comprarem nas mercearias locais um pacote de castanha pilada (castanha descascada e seca) para confecionarem este prato que era servido como refeição principal e não como sobremesa. Vários relatos referem que na quinta-feira e sexta-feira santas o arroz de castanha pilada era “comido até se ficar enjoado, não se comia mais nada nesses dias”. Em relação à receita atual, alguns testemunhos referem que antigamente o prato era confecionado apenas com água, sem leite e com menos açúcar.” – Texto in Memoriaimaterial Saberes e Sabores Tradicionais

Importa salientar que a elaboração desta receita só foi possível com o contributo da Sweet Castanea, que acredita que a castanha pilada continua a ter o seu espaço, e apostou na sua comercialização. Um bem-haja.

E para os que tiverem curiosidade e queiram (re)avivar memórias, vejam este vídeo:
Não se vão arrepender. Garanto.





Ingredientes:
1kg de Castanha Pilada Sweet Castanea
1kg de Arroz Carolino Pato Real
1Lt de Leite
4 Paus de Canela
800g de Açúcar
125g de Manteiga
Sal q.b.
Canela em Pó para decorar

Nota: As quantidades apresentadas estão tal qual a receita original que encontrei, e que a ser usada como refeição principal durante a semana santa não são quantidades exageradas; contundo, e uma vez que não usei a receita para esse fim, tive necessidade de adaptar as quantidades. Neste caso usei 200g de Castanha Pilada Sweet Castanea, e ajustei os restantes ingredientes.

Modo de preparação:
Deixe as castanhas piladas de molho de um dia para o outro.
No dia seguinte, coza as castanhas com um pouco de sal.
Quando a cozedura estiver concluída escorra as castanhas e reserve a água. Junte a água das castanhas a um pouco de água quente que vai servir para cozer o arroz.
Quando o arroz estiver meio cozido e com pouca água junte o leite e os paus de canela, e deixe acabar de cozer.
Quando o arroz estiver bem cozido junte o açúcar, mexa e junte a manteiga e a castanha cozida. Deixe um pouco mais ao lume, sem que deixe secar.
Retire do lume e deixe repousar alguns minutos.
Distribua por pequenos recipientes e enfeite com canela em pó.


Nota: O açúcar só deve ser colocado depois do arroz estar bem cozido porque senão encrua o arroz.

22 de março de 2016

Coelhinhos de Açúcar Baunilhado

Yum
Hoje a receita vem de uma forma muito especial!

Eu e o meu filho mais velho juntámo-nos e decidimos trazer-vos esta receita em formato de vídeo…

São 10 minutos, que vos convidamos a ver de forma divertida.

Não somos profissionais, nem temos aspirações a isso. Por isso assistam ao vídeo de mente aberta, e perdoem-nos um monte de coisas que estão menos bem!

Divertimo-nos IMENSO a fazer este vídeo, e esperamos que vocês acabem de sorriso aberto quando o terminarem de ver. É essa a nossa esperança J

Desejamos-vos uma Feliz Páscoa, e divirtam-se muito junto da vossa família e amigos. Um bem-haja a todos quantos por aqui passam.




Ingredientes (cerca de 60 unid.):
470g de Farinha de Trigo, e mais um pouco para polvilhar
1 c. chá de Fermento Químico
½ c. chá de Sal
250g de Manteiga sem Sal, à temperatura ambiente
1 Ovo grande, à temperatura ambiente
2 c. chá de Essência de Baunilha
1 c. sopa de Iogurte Natural, sem açúcar



Preparação:
Num recipiente misture a farinha, o fermento e o sal. Noutro recipiente bata a manteiga e o açúcar com a batedeira, a uma velocidade média-alta, durante 2 a 3 minutos, até obter uma mistura leve e macia.

Adicione o ovo e a essência de baunilha e bata devagar até o ovo ficar bem misturado.
Comece por juntar 1/3 da farinha e misture com uma colher de pau, até ficar quase incorporado. Junte a segunda e a terceira parte de farinha, seguindo o mesmo método. Por último junte o iogurte e envolva bem.

Retire a massa da taça e envolva-a em pelicula aderente. Leve ao frigorífico pelo menos 1 hora, ou idealmente de um dia para o outro.




Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Numa bancada polvilhada de farinha, estenda a massa até ficar com uma espessura de 3 a 4mm.
Usando um corta-massas (da forma desejada) corte as bolachinhas e coloque-as num tabuleiro previamente forrado com papel vegetal ou folha de silicone, separadas por cerca de 2cm entre si. Reúna os restos de massa, estenda-a novamente e corte mais bolachas.

Leve as bolachas ao forno por cerca de 10 a 15 minutos, ou até que o contorno comece a ficar ligeiramente dourado, mas sem que a parte de cima ganhe cor.
Deixe-as arrefecer no tabuleiro por cerca de 5 minutos. Usando uma espátula de metal, transfira-as para uma rede e deixe arrefecer por completo.


Fonte: A Arte das Bolachas by Shelly Kaldunski



Água com Limão e Tomilho

Yum
No dia 22 de março é celebrado anualmente o Dia Mundial da Água.
A celebração da data visa alertar consciências e discutir os temas relacionados com este bem essencial da natureza, bem como promover a consciencialização sobre a necessidade urgente necessidade de preservação e poupança deste recurso natural tão valioso.

Todos nós devemos refletir sobre a importância deste recurso e o que fazemos diariamente para usá-lo de forma racional e sustentável.

Celebremos este dia, de forma consciente e valorizando a importância deste bem natural!





Água com Limão e Tomilho

Num jarro junte limão cortado às rodelas e tomilho-limão a gosto.
Desfrute!





21 de março de 2016

Propostas para a Páscoa 2016

Yum
Tenho algumas receitas no "forno" ainda para a Páscoa, mas enquanto acabam de cozer deixo-vos algumas sugestões, umas deste ano e outras que fui resgatar ao arquivo do blogue, caso ainda andem à procura de inspiração!


1 - Coroa da Páscoa
2 - Folar de Rosas com Compota de Castanha
3 - Almofadinhas de Ricotta e Espinafres
4 - Coroa de Maçã e Amêndoa
5 - Folar à Italiana com Castanhas em Calda de Gengibre
6 - Ninhos de Pássaro
7 - Argolinhas de Passas e Amêndoas

Até já!

16 de março de 2016

Granola de Arroz Tufado & Aveia

Yum
Esta é a minha estreia em granola.
E ficou maravilhosa! Adorei a cor, o aroma, o estaladiço que ficou….Muito mas mesmo muito bom.

Bom dia a todos!!



Ingredientes:
Secos
1 chávena de Flocos de Aveia
2 chávenas de Arroz Tufado
(faça com arroz tufado caseiro! veja a receita aqui)
½ chávena de Sultanas Douradas
½ chávena de Nozes Pecan (ou outro fruto seco a gosto)
¼ chávena de Amêndoa palitada
1/3 chávena de Mix de Sementes
2 c. café de Canela em pó (opcional)
1 pitada de Sal
Líquidos
2 c. sopa de Óleo de Coco MyProtein
2 c. sopa de Mel
2 c. sopa de Manteiga de Amêndoa MyProtein (ou de Amendoim)
2 c. sopa de Água
1 c. café de Extrato de Baunilha







Preparação:
Pré-aqueça o forno a 170ºC.
Numa taça misture todos os ingredientes secos.
Num fervedor, ou tacinho pequeno, junte todos os ingredientes líquidos e leve a lume muito fraco, até que o óleo de coco esteja completamente derretido e a mistura homogénea.
Junte a mistura líquida aos ingredientes secos e misture tudo muito bem.
Transfira a mistura para um tabuleiro (eu usei o tabuleiro de forno coberto por película de silicone) e leve ao forno cerca de 30 a 40 minutos, mexendo de vez em quando para não queimar e ficar tostada de forma homogénea.
Uma vez que esteja seca e com uma cor dourada, retire do forno e deixe arrefecer completamente antes de guardar. Guarde num frasco hermeticamente fechado.


E agora é só desfrutar no seu leite ou iogurte, começando as suas manhãs de uma forma mais saudável e saborosa!

13 de março de 2016

Folar à Italiana com Castanhas em Calda de Gengibre

Yum
O aroma deste folar é qualquer coisa do outro mundo!
Para quem é amante de canela, como eu, este é O folar.
Além da sua cor deslumbrante o seu sabor é riquíssimo. É uma massa bastante diferente do folar que publiquei anteriormente... um pouco mais seca. Mas o que eventualmente poderá perder em leveza da massa ganha claramente em riqueza e complexidade de sabor!
Uma experiência maravilhosa.


Este foi o segundo folar que levei ao Mercado Gourmet do Campo Pequeno em Parceria com a Sweet Castanea.



Ingredientes:
350g Farinha de Trigo T65
125g de Açúcar Refinado
125g de Manteiga, sem sal à temperatura ambiente
25g de Canela em Pó
25g de Fermento de Padeiro fresco
3 Ovos, ligeiramente batidos
½ c. chá de Sal
Raspa de 1 Laranja média
Raspa de 1 Limão médio
1 Frasco de 250g de Castanhas em Calda de Gengibre Sweet Castanea

Preparação:
Desfaça o fermento num pouco de água tépida e junte duas colheres de sopa de farinha, devendo ficar uma massa mole. Cubra com um pano e deixe levedar num lugar ameno, reservado de correntes de ar, até duplicar o seu volume.
Deite a restante farinha numa tigela e junte a manteiga, os ovos, o sal, a canela e a raspa dos citrinos. Amasse, desfazendo a manteiga com as mãos, e de seguida adicione a massa lêveda, continuando a amassar até obter uma massa elástica e aveludada. Junte então o açúcar e trabalhe de novo a massa.
Tape com um pano, envolva a tigela com um cobertor e deixe levedar em sítio quente, por cerca de 3 a 4 horas.
Escorra as castanhas da calda de gengibre, reservando a calda. Pique grosseiramente metade das castanhas, reservando as restantes, e junte-as à massa quando tiver acabado de levedar. Envolva a massa de modo a que as castanhas fiquem distribuídas na massa.
Forme uma bola com a massa e coloque-a numa forma de 22cm de diâmetro, bem untada. Distribua as restantes castanhas reservadas pelo topo da massa, fazendo uma ligeira pressão para as enterrar um pouco na massa. Deixe levedar de novo, tapado, cerca de 30 minutos.
Antes de colocar no forno, pincele a massa com um pouco da calda de gengibre.
Leve ao forno, pré-aquecido a 200ºC, cerca de 15 minutos. Depois reduza a temperatura para os 180ºC e deixe cozer por mais cerca de 30 minutos.
Retire do forno e de imediato pincele o folar com a restante calda de gengibre.

Deixe arrefecer por completo antes de desenformar.

Receita adaptada do Livro de Pantagruel

9 de março de 2016

Folar de Rosas com Compota de Castanha

Yum
Com a certeza de que me estou a tornar um pouquinho repetitiva, mas ainda assim não resisto insistir em dizer que a tarde que passei no Mercado Gourmet do Campo Pequeno ao lado da Sweet Castanea, no passado dia 6 de Março, foi maravilhosa.
Foi muito especial, poder estar num espaço privilegiado como o Mercado Gourmet, ao lado de duas pessoas extraordinárias e de uma generosidade enorme.
Foi muito bom falar com quem ia provando as minhas receitas, receber dicas, trocar experiências, receber feedback positivo, e sentir o carinho de todos os que por ali iam passando...  muito obrigado, do fundo do coração.
Não existe recompensa maior para o que fazemos do que sentir-mos que o nosso trabalho e dedicação são valorizados e apreciados. Um bem haja a TODOS.

Para o evento levei 4 propostas, uma Torta de Chocolate com Compota de Castanha, com uma decoração um pouco mais Pascal; levei ainda o Bolo de Chocolate com Castanhas em Calda de Gengibre; e fiz duas receitas novas, dois tipos de folar, um de rosas, e outro à Italiana.

Hoje partilho uma das receitas de folar, que é uma proposta deliciosa para a Páscoa, que está quase, quase aí.

É um folar bem simples de confeccionar, muito saboroso e com a mais valia de ser uma receita diferente. Com ela podem surpreender os vossos convidados, com a certeza de fazer sucesso!

Espero que gostem!






Ingredientes:
500g de Farinha de Trigo T55
25g de Fermento de Padeiro Fresco 
70g de Açúcar
150ml de Leite
50g de Manteiga sem sal, à temperatura ambiente
2 Ovos
1 c. café de Erva-doce em pó
1 pitada de Sal Fino
Raspa de 1 Laranja
1 Emb. 250g de Compota de Castanha Sweet Castanea
1 Emb. 250g Castanhas em Calda Vinho Porto Sweet Castanea
1 c. sopa Mel




Preparação:
Aqueça o leite com a manteiga. Retire do lume e mexa até que a manteiga derreta. Deixe amornar e desfaça o fermento de padeiro fresco no leite. O leite não deve estar muito quente, só morno, senão corre o risco de reduzir o efeito do fermento ou até mesmo anular.

Coloque a farinha, o açúcar e ovos ligeiramente batidos, numa taça e misture sem amassar. Junte a raspa da laranja, o sal e a erva-doce, e envolva novamente.

Junte a mistura de leite e fermento e amasse, até obter uma massa lisa e elástica. Ao início a massa vai estar mole e muito húmida, mas à medida que for amassando ela vai tornar-se mais elástica e consistente. Não caia na tentação de juntar mais farinha, senão corre o risco de acabar com uma massa muito pesada e seca. Trabalhe bem a massa com as mãos, e se necessário de vez em quando retire o excesso de massa das mãos, salpique levemente as mãos de farinha, e volte a amassar.

Molde a massa em forma de bola, coloque dentro de uma taça salpicada com um pouco de farinha, e deixe levedar durante 1 hora, tapada, e numa zona abrigada e morna.

Depois do primeiro processo de levedura completo, estenda a massa, com a ajuda de um rolo, numa superfície polvilhada com farinha de modo a formar um retângulo.

Barre a massa com a Compota de Castanha Sweet Castanea.
Escorra as Castanhas em Calda de Vinho do Porto Sweet Castanea, e reserve a calda. Pique grosseiramente as castanhas e espalhe por cima da compota.
Enrole a massa, a partir de um dos lados mais compridos, como se fosse uma torta, e corte em 10 ou 12 pedaços.

Unte uma forma redonda de 22 ou 24 cm com margarina e disponha as rodelas de massa.

Tape e deixe levedar novamente durante 30 minutos.

Leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, durante cerca de 50 minutos.

Aqueça a calda das Castanhas em Calda de Vinho do Porto Sweet Castanea com a colher de sopa de mel.

Retire o folar do forno, e ainda quente pincele o folar com a calda (use a calda toda).

Deixe o folar amornar dentro da forma.


Desenforme e deixe arrefecer por completo numa rede antes de servir.


Receita adaptada de Cinco Quartos de Laranja

2 de março de 2016

Salada Morna de Arroz Integral e Funcho

Yum
Juntamos dois ingredientes de época, um delicioso arroz integral, que se prepara num minuto, e voilà, ficamos com uma nutritiva e saudável refeição.



Ingredientes:
1 Bolbo de Funcho
1 Laranja
Sal e Pimenta, a gosto
Raspa de Limão, a gosto
Rama de Funcho (opcional)




Preparação:
Prepare o funcho, cortando os talos e a rama (no caso de ainda ter, porque os que são vendidos na maioria dos supermercados já vem sem rama, mas se tiver a sorte de comprar nos mercados é bastante provável que ainda traga a rama), e retire também as folhas exteriores do bolbo, principalmente se estiverem secas e escurecidas.

Lave muito bem, esfregando delicadamente o bolbo. De seguida seque com papel de cozinha. Corte em fatias finas.

Unte ligeiramente com azeite um tabuleiro ou travessa, que seja seguro ir ao forno. Disponha as fatias de funcho, tempere com um pouco de sal e pimenta. Salpique com raspa de limão, e também com um pouco de azeite (muito pouco, para não ficar demasiado gorduroso – se preferir pincele as fatias).

Leve ao forno até que esteja tenro.

Entretanto prepare a laranja, cortando-a em gomos.

Quando o funcho estiver quase pronto, prepare o Arroz Integral Pato Real Minuto©, levando-o ao micro-ondas durante cerca de 1 minuto.

Junte o funcho e a laranja ao arroz, e envolva delicadamente.
Retifique os temperos, caso seja necessário, e junte um pouco de rama de funcho.


E Voilà, Bom Apetite!

Nota: Para aprender como cortar a laranja em gomos, veja este vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=erk6UU2gmGc

1 de março de 2016

Funcho

Yum


O funcho é um vegetal muito versátil que desempenha um importante papel na cultura alimentar de muitos países europeus, especialmente em França e Itália.

É composto por um bolbo branco ou verde pálido a partir do qual o caule cresce. O caule é coberto por ramagens verdes, perto das quais flores crescem e produzem sementes, conhecidas como Erva-doce. O bolbo, caule, folhas e sementes são comestíveis. Tanto pode ser consumida crua como cozida.



A textura do funcho é similar à do aipo, ou seja crocante e ligeiramente estriada.

O sabor aromático deste legume é único, lembrando mesmo o licor de anis, tanto que é muitas vezes, e erradamente, referido como anis em muitos mercados.




Fresco, deve-se escolher o branco, rijo, arredondado e sem manchas. Conserva-se facilmente em ambiente seco mas tem tendência a tornar-se fibroso à medida que vai envelhecendo. Tal como o aipo, pode cozinhar-se como um legume, estufado com manteiga ou gratinado.

Combina muito bem com natas e no tempero de peixes gordos, pois torna-o mais digestivo. As suas folhas picadas são deliciosas sobre saladas, batatas, pratos de arroz ou em molhos para pastas.

O funcho apresenta muitos benefícios para a nossa saúde, dos quais se podem destacar os seguintes: rico em fibra, vitaminas, proteínas, gorduras, hidratos de carbono (carbohidratos), abre o apetite, estimula a digestão, aumenta o leite materno, combate diarreias, apresenta efeitos diuréticos (ajuda a emagrecer) e combate a tosse.

Para preparar o funcho deve cortar os talos e as folhas, cerca de três centímetros acima do bolbo.
Se não quiser utilizar de imediato os caules e as folhas, pode conservá-los ainda durante um período, bastando para isso que os mantenha num recipiente com um pouco de água. Manterão a sua vivacidade por cerca de uma semana. Poderá usar tanto os caules como as folhas para guarnição de receitas de peixe, saladas ou molhos.
Para preparar o bolbo, corte a parte seca da raiz, retire as folhas exteriores, principalmente se estiverem secas e escurecidas.
Lave muito bem com água corrente esfregando suavemente. Seque bem com papel de cozinha. Corte o bolbo em fatias, quartos, ou pedaços, conforme a receita especificar.


E agora uma simples e deliciosa de comer funcho….


Funcho Assado no Forno



Pré-aqueça o forno a 160ºC.
Prepare um bolbo de funcho, cortando a rama e retirando as folhas exteriores. Lave muito bem, esfregando delicadamente o bolbo. De seguida seque com papel de cozinha.
Corte em fatias finas.
Unte ligeiramente com azeite um tabuleiro ou travessa, que seja seguro ir ao forno. Disponha as fatias de funcho, tempere com um pouco de sal e pimenta. Salpique com raspa de limão, e também com um pouco de azeite (muito pouco, para não ficar demasiado gorduroso – se preferir pincele as fatias).
Leve ao forno até que esteja tenro.

Nos últimos 5 a 10 minutos, aumente a temperatura para 180ºC/200ºC, para ficar um pouco mais tostado e estaladiço – se gostar claro.

Fontes:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...